Nas crianças e adolescentes:

  1. Resistência cardiorrespiratória;
  2. Aptidão muscular;
  3. Composição corporal;
  4. Melhoria da saúde óssea;
  5. Melhoria no desenvolvimento do sistema cardiovascular e biomarcadores de saúde metabólicos.

Nos adultos:

  1. Menor risco de morte precoce por AVC, diabetes tipo 2, pressão arterial elevada, perfis lipídicos adversos no sangue, síndrome metabólica, cólon e cancro do peito;
  2. Prevenção de peso;
  3. Perda de peso quando combinado com dieta;
  4. Melhoria do sistema cardiorrespiratório;
  5. Melhoria da circulação sanguínea;
  6. Aptidão muscular;
  7. Prevenção de quedas.

Além dos benefícios físicos citados acima, o ciclismo demonstrou estar associado a benefícios psicológicos, cognitivos e de funcionamento social, como:

  1. Menor risco de depressão, angústia e estresse;
  2. Melhor tempo de reação, atenção, coordenação e precisão durante as tarefas diárias;
  3. Um nível mais alto de interação social percebida e real, respectivamente.

Além disso, os resultados de uma pesquisa publicada na revista Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports mostram que a atividade física inerente à participação no esporte está ligada ao envelhecimento multidimensional bem-sucedido. Se houver participação em competições na prática escolhida, cumprindo e aplicando regras e habilidades específicas e promovendo interação com outras pessoas, melhor ainda.

Os estudiosos levantaram a hipótese de que fatores específicos da competição, como esses citados, podem promover um envelhecimento multidimensional bem-sucedido acima do que é alcançado apenas por meio do exercício físico. Para os autores, fica claro que a atividade física tem inúmeros benefícios, mas, dentro de uma competição, a prática esportiva demostrou benefícios mais elevados para fatores cognitivos e psicológicos – aponta Vinícius Arnoudo.

De acordo com um estudo da Universidade Yale, dos Estados Unidos, ao analisar dados de 1,2 milhões de pessoas com 18 anos ou mais entre 2011 e 2015, foi constatado que, de um mês para o outro, os indivíduos que se exercitaram passaram 43,2% dos dias com a saúde mental menos fragilizada do que indivíduos que não se exercitaram. Todos os tipos de exercício foram associados a uma melhora da saúde mental, e o ciclismo foi a segunda atividade física com maior associação de redução de carga mental.

Curtiu? Então acompanhe nossas postagens! Não saia para pedalar sem antes fazer um acompanhamento médico. E se precisar de um Plano de Saúde, a Digital tem as melhores opções em excelentes condições!

Fale Conosco:
☎️ (11) 5555-8797       
🌐 www.digitalsaude.net

Fonte: Eu Atleta – Globo.com

Este artigo foi útil?
Avalie

5 / 5. 2

5